Conseg Pari

Bairro do Brás, no Centro, Lidera Ranking de Homicídios em São Paulo

Distrito, que abriga galpões, depósitos e moradias precárias, registra quase 40 homicídios para cada 100 mil habitantes. A maioria das vítimas assassinadas tem entre 15 e 29 anos. Os dados fazem parte do Mapa da Desigualdade 2017, divulgado nesta terça-feira pela Rede Nossa São Paulo.

Por Talis Mauricio

Que São Paulo é uma cidade violenta, não há dúvidas. Mas, qual dos 96 distritos da capital é o campeão de assassinatos?

“Cidade Tiradentes! Capão Redondo! Onde tem mais homicídios em São Paulo? Parelheiros. Capão Redondo!”, tentam adivinhar paulistanos ouvidos pela reportagem da CBN.

Errado! O distrito mais violento de São Paulo é o Brás, longe da periferia, no Centro, a poucos quilômetros da Prefeitura, do Theatro Municipal e outros equipamentos públicos de relevância.

Segundo o Mapa da Desigualdade 2017, divulgado nesta terça-feira pela Rede Nossa São Paulo, a região registra 38 homicídios para cada 100 mil habitantes, índice semelhante ao de cidades como Manaus, Vitória e Macapá. Em 2016, o Brás ocupava a penúltima posição do ranking, o que mostra uma piora na comparação com este ano.

O padre Júlio Lancelotti, que atua há anos em projetos sociais na região, aponta uma série de fatores como agravantes para o alto índice de homicídios. Tais como pobreza, falta de infraestrutura e adensamento populacional.

“Você tem muita gente debaixo de um mesmo teto com a condição de, às vezes, 50 usarem o mesmo vaso sanitário. Ou ter uma torneira de água corrente para 50, 100, 200 pessoas. E aí entra bebida, droga, vários fatores que acabam dificultando o relacionamento e o entendimento”, analisa.

A maioria dos assassinatos no Brás envolve pessoas entre 15 e 29 anos. Quando analisado apenas o indicador homicídio juvenil, que abrange essa faixa etária, os dados disparam: 133 mortes por 100 mil habitantes.

O autônomo Vaderlan Moura, de 28 anos, está nessa lista. Ele foi morto a facadas em agosto deste ano, após se envolver em uma briga em um bar, na rua Gomes Cardim. A mulher dele, a comerciante Antônia Valdelice, fala do caso com naturalidade e diz que no Brás a justiça é feita com as próprias mãos.

“Viver no Brás é complicado. Para quem gosta de beber igual o meu marido gostava, aqui é ruim. Os bares são os lugares de maior confusão e é onde acabam saindo as mortes. Tem muita briga e quando não se resolve na faca é na bala, não se espera a justiça dos homens, não”, explica Antônia Valdelice.

Além do Brás, a República, também no Centro, ocupa a penúltima posíção no mapa deste ano, com uma taxa de 22 homicídios para cada 100 mil habitantes.

Um dos responsáveis pelo levantamento, o gestor de projetos Américo Sampaio, explica que, por mais que dois distritos do Centro ocupem as últimas posições, não é correto afirmar que está havendo uma inversão de homicídios da periferia para o centro da cidade. Entre as dez últimas posições, a periferia ainda é o local onde mais assassinatos acontecem, com destaque para Jardim São Luis e Jardim Ângela, na Zona Sul, e Vila Jacuí e São Miguel, na Zona Leste.

“Tem uma incidência maior de homicídios juvenil nas periferias quando você compara com as regiões mais ricas e centrais da cidade. Quando você pega os distritos da Consolação, Perdizes, Pinheiros, Jardins… nesses distritos você chega a ter zero, ou seja, são distritos onde não acontecem homicídio juvenil. Enquanto nas periferias você tem a grande maioria dos distritos com índice elevado de homicídio juvenil. Isso mostra que a cidade promove dois níveis de sociabilidade, dois níveis de oportunidades para os jovens”, avalia Américo Sampaio.

O Mapa da Desigualdade, uma espécie de diagnóstico dos principais problemas da capital, é feito desde 2012 pela Rede Nossa São Paulo. Neste ano são avaliados mais de 30 indicadores, em áreas como saúde, educação, violência, cultura e transporte. O levantamento é feito com base em dados oficiais do município e também de órgãos estaduais e federais.

Fonte: Rádio CBN

Porque a Rua Ministro Francisco Campos está Fechada?

A Rua Ministro Francisco Campos a única entra para o bairro do Pari, foi fechada para virar estacionamento de caminhões da Marsil? ou talvez estúdio de ensaio particular em via publica de grupos folclóricos?

Essa via publica atende apenas aos interesses para estacionamento da empresa Marsil, não serve a populção do bairro nem a da cidade de São Paulo isso é o exemplo de quando os interesses particulares sobrepõem-se ao coletivo. O fechamento dessa rua esta fazendo motoqueiros subirem na calçada para continuar o trajeto.. E AI CET?

Baile Funk na Rua Azurita!!! Cadê as autoridades que nada fazem?

O baile funk na rua azurita começou as 10 horas do dia 31/09/17 até o presente não acabou dia 01/10/17  10 horas. A falta de respeito das autoridades que nada fazem com o descanso da população moradora e idosos já vem de longa data. Cadê as autoridades do bairro que nada fazem, a não ser querer aparecer em jornais e Tv? realmente é uma grande brincadeira o que estão fazendo com o bairro do Pari em todos os sentidos, isso tem que acabar, muitos só vem aqui no bairro apenas para ganhar $$ ou se promover politicamente, mas na hora de resolver as coisas nada!! Esse atual Conseg do Pari é uma grande piada!!

Agora Quem For Pego Jogando Lixo em Via Pública no Pari Vai Ser Multado.

por Ricardo F. Ramos

A eficiência da administração João Dória na Prefeitura de São Paulo não é diferente na Prefeitura Regional da Mooca, administrada pelo Prefeito Regional Paulo Sergio Criscuolo, que em reunião com moradores do Pari se mostrou disposto a resolver os problemas em nossa região. A Gazeta do Pari esteve lá e acompanhou nesta semana do dia 20/09/17 a solicitação e o atendimento em menos de 12 horas em relação ao lixo e problemas na Rua Sacramento… E VEM MAIS MELHORIAS POR AI!!. Os bairros do Pari e Brás só tem a ganhar com a nova administração que vem trabalhando duro para solucionar os problemas da região como também vem fazendo uma limpa na corrupção herdada da esquerda, os famosos propineiros de plantão, aqueles acostumados a vender vantagens onde os únicos beneficiados eram os seus próprios bolsos..

Parabéns ao Prefeito João Dória e ao Prefeito Regional Paulo Sergio Criscuolo eficiência e honestidade para o bem da população de São Paulo.

Prefeito Regional da Mooca – Paulo Sergio Criscuolo

_________________________________________________________________________

Estamos fundando o Partido dos Patriotas formado por Civis e Militares para resgatar a nossa Pátria Brasil. Com muito orgulho eu Ricardo F Ramos faço parte dessa história.

 

História do Conseg Pari

O Conseg Pari foi fundado em 1989 pelo Capitão Vanderlei Reco na 3ª Cia do 13º Batalhão da Policia Militar do Estado de São Paulo. Estavam presentes o Sr. Marino, Dr. Nunes  e a Presidente fundadora da ASSAMPA/ASSAMPAC – Dra. Odette Filpo Ramos.

Capitão Vanderlei Reco – Fundador do Conseg Pari ano de 1989.

CONSEG – Em setembro de 1989 assumia a 3ª Cia 13 batalhão o Capitão Vanderlei Reco com 36 anos de idade e com a missão de segurança dos bairros Belém, Pari, Canindé e Brás, sob sua supervisão 230 homens – o Conseg Pari contava com total apoio da ASSAMPA – Associação Amigos do Pari, que mais tarde seria ASSAMPAC.

Conselhos comunitário de segurança de SP

Conseg SSP

Odette Filpo Ramos - Presidente fundadora da Assampa/Assampac - Gazeta do Pari - 1990

Odette Filpo Ramos – Presidente fundadora da Assampa/Assampac – Gazeta do Pari – Fevereiro de 1990

________________________________________

Nova Lei contra Barulho Em São Paulo –

(Projeto de Lei nº 313/09, dos Vereadores Antonio Carlos Rodrigues – PR, Dalton Silvano – PV e Coronel Camilo – PSD)

FERNANDO HADDAD, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, faz saber que a Câmara Municipal, em sessão de 8 de maio de 2013, decretou e eu promulgo a seguinte lei:

(Leia Mais)

______________________________

COMUNIDADE NETWORK DE SEGURANÇA DO PARI/BRÁS.

(desde 26/10/2012) por Ricardo Ramos MTB/SP

O website ¨www.consegpari.com.br¨ registrado e pago por Ricardo Ramos em, 27 de julho de 2012, com a intenção de ser o website oficial da instituição ¨Conseg Pari¨ após convite feito pela Presidente do Conseg Pari, Tánia Barbosa..

Em 26 de novembro de 2012, foi a data da demissão do Diretor de comunicação, Ricardo Ramos (Publicitário e Consultor SEO), idealizador do Portal e webrádio. (conheça os motivos)

O site consegpari.com.br tem com objetivo disponibilizar o sistema de utilidade publica na internet para a comunidade da região expressar suas opiniões, reclamações e sugestões para melhorar a segurança dos bairros: PARI e BRÁS.

(Jornalista Ricardo Ramos – MTB/SP)

________________________________________

ATENÇÃO! é proibido a cópia total ou parcial deste site.

O site www.consegpari.com.br é de propriedade particular e não autoriza ninguem a copiar e utilizar seu conteúdo, sob a Lei do Direito Autoral Nº 9.610 de 19 de Fevereiro de 1998.

________________________________________

Perturbação do sossego com latidos de cachorro

Não é de conhecimento geral, mas o conforto doméstico está previsto em lei.
De acordo com Art. 42 da Lei das Contravenções Penais – Decreto Lei 3688/41, configura-se a perturbação do trabalho ou sossego:
I – a gritaria ou algazarra;
II – o exercer profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;
III – abusar de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;
IV – provocar ou não procurar impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda:
Pena: detenção ou multa.
Direito ao silêncio é previsto em Lei